Hélio Arakaki: Biodanza, a dança da vida

29/10/2015 às 15:28
Helio Arakaki é professor de Karate e facilitador de Biodanza. A sua entrevista é sobre a Biodanza, a dança da vida, criada pelo chileno Rolando Toro, com o objetivo de aumentar a auto-estima e fortalecer a identidade para uma vida mais coerente, feliz e livre. Confira.

Fale um pouco sobre a sua trajetória de vida que culminou no seu encontro com o Karatê e com a descoberta da Biodanza.
Pratico o Karatê desde os 12 anos de idade. Formei-me faixa preta com o Mestre Juichi Sagara, o introdutor oficial do Karatê no Brasil, em São Paulo, no período que estudei na Escola Superior de Propaganda e Marketing, onde me graduei em publicidade.
Retornando à Campo Grande no ano de 1982,  montei a Academia Muryokan Shotokan. Durante muitos anos trouxe meu mestre a esta cidade, onde, inúmeras vezes, ministrou cursos para os praticantes do estado, contribuindo assim para o desenvolvimento desta arte marcial.
A Biodanza foi, como o Karatê, um encontro muito significativo. Trouxe-me muitas percepções a ponto de me estimular a me tornar um facilitador deste Sistema de desenvolvimento humano. Hoje, através da Biodanza, tenho trabalhado como consultor de empresas, além de manter um grupo regular com aulas semanais onde atua também a minha esposa, Regina Lúcia Arakaki que é também psicóloga. Tenho tido a oportunidade de realizar um trabalho voluntário com dependentes químicos em duas comunidades terapêuticas em Campo Grande, a CADEF - Amor persistente e a Casa Aurora. Um trabalho muito gratificante. 
O que é Biodanza? Qual o objetivo? Como, onde e por quem foi criada?
A Biodanza é um sistema de integração humana, renovação orgânica, reeducação afetiva e de reaprendizagem das funções originárias de vida. É escrita em espanhol por estar registrada assim no mundo todo.
A integração é a capacidade que a pessoa apresenta em se conectar com ela mesma, com o semelhante e com a totalidade. Renovação orgânica porque a Biodanza estimula a capacidade do individuo de promover a homeostase, o equilíbrio orgânico interno, diante das situações de desgaste físico e emocional, capacidade esta profundamente afetada pelo modo de vida moderno. Reeducação afetiva significa promover a emoção mais significativa em se tratando de pertencermos a uma espécie que necessita de conviver com membros da mesma espécie, o afeto. Pode-se dizer que a afetividade está tremendamente afetada, basta ver o caos coletivo que vive a humanidade, em função da violência em todos os níveis, desde a familiar, as guerras, as corrupções políticas envolvendo desvio de dinheiro publico.  
A reaprendizagem das funções originárias de vida compreende a conexão com as funções arcaicas de vida que são os nossos instintos que,  devido a uma educação fragmentada, priorizou a racionalidade em detrimento a inteligência instintiva de conservação da vida.  Freud denunciou a neurose como fruto das repressões culturais e sociais.
Como o nome já diz, Biodanza, a dança da vida, é um sistema de desenvolvimento humano que promove a conexão com a vida ao propor um modo de vida integrado que  transpõe as barreiras de uma educação repressora que se presta ao serviço de uma cultura anti-vida que fomenta valores de cunhos meramente materiais e ideológicos como forma de manter os seres humanos em estado de subserviência e controle.
A Biodanza objetiva o aumento da auto-estima e o fortalecimento da identidade, possibilitando assim, a criação de uma vida mais coerente, feliz e livre. Tal condição é possível a partir do momento em que através de uma atitude corajosa e comprometida, a pessoa se preste ao trabalho de concretizar o seu Projeto Existencial, que nas palavras de Rolando Toro, seu criador, pode ser determinado a partir de três perguntas:
Onde quero viver? Como poderia eu me realizar, vivendo em meio à violência, à poluição, ou numa casa que não me oferece conforto?
Com quem quero viver? Como poderia estar bem, se a pessoa com quem vivo me faz sofrer?
O que quero fazer? Como poderia eu viver bem, se o que faço fere minha vocação, ou se a empresa onde trabalho fere os meus princípios éticos?
Então, pode-se dizer que o objetivo da Biodanza, não é apenas promover um bem estar físico, mas a coragem para que a pessoa assuma o compromisso em buscar a sua felicidade autêntica.
Inicialmente, a Biodanza foi empregada num experimento onde uma equipe de especialistas das áreas médicas e da psicologia se juntaram na tentativa de humanizar o tratamento psiquiátrico no Hospital da Universidade Católica de Santiago do Chile. Seu criador, Rolando Toro, psicólogo e antropólogo, iniciou o experimento partindo da intuição de que determinadas músicas promoveriam uma reação nos pacientes. Fato constatado, pois o mesmo observou que algumas músicas facilitavam estados de transe, aumentando as alucinações e os delírios e que se dissociavam ainda mais quando faziam certos movimentos. A partir de então passou à seleção de uma série de músicas e danças que reforçassem o sentimento da própria identidade, resultando em manifestação pelos doentes de melhor discernimento da realidade, diminuindo as alucinações e aumentando a comunicação deles.
Observou também que os exercícios, dependendo do tipo, levavam a um forte sentimento de identidade (consciência de si mesmo) ou à regressão (sentimento de diluição da identidade). Posteriormente, observou que pessoas não psicóticas, mas estressadas, que sofriam de doenças psicossomáticas, melhoravam sensivelmente quando faziam exercícios que induziam à regressão.
Rolando, foi mais além, pois como antropólogo que é, a partir das tradições culturais de vários povos, verificou o quanto as danças de celebração e dos rituais apresentam não somente um significado psicológico e existencial, mas que promovem o estado alterado da consciência do indivíduo.
Estava então delineado um modelo operatório a partir da música, movimento, emoção e estados de consciência, sendo, de um lado, a consciência de si mesmo e do outro, o estado de regressão. Quanto aos movimentos, trata-se de exercícios trazidos de outras técnicas corporais e adaptados para a Biodanza e outros criados para fins específicos na Biodanza. As músicas seguem um critério semântico de escolha e classificação, ou seja, cada música é testada cientificamente quanto aos seus efeitos no organismo e na psique do indivíduo. Não se trata de colocar músicas bonitas ou agradáveis, realizar os movimentos e as danças, sair relaxado e com uma sensação de leveza corporal, estamos falando de uma metodologia cientifica e coerente que tem como base a ciência da vida: a biologia.
Dançar, não se resume apenas a movimentar o corpo, mas de estabelecer uma forma de conexão e de manifestação pulsante do universo em nossa existência a partir das vivências expressas nas emoções e nos sentimentos de alegria, criatividade, prazer, êxtase, transcendência e a experiência suprema de estar vivo.
O que significa a Biodanza para você?
Esta semana, realizando um trabalho numa empresa em que participava o empresário juntamente com um grupo de funcionários, pessoas simples e humildes.  Era um momento de partilha. Sentados em uma roda, todos falavam dos sentimentos e percepções aflorados pelas vivências de Biodanza. O empresário foi o último a falar, e revelou-se surpreso ao dizer: estou vendo que os nossos problemas e os anseios são os mesmos! Este é um exemplo da realidade profissional que vivo quando trabalho com a Biodanza. 
Proporcionar “insights” poderosos e integradores que diminuem a distância entre as pessoas, que promove um sentimento de valor próprio e aumenta a capacidade de interação das pessoas com o meio é algo maravilhoso, uma possibilidade que a Biodanza proporciona.
Atualmente desenvolvo um trabalho com grupo de dependentes químicos e o resultado tem se mostrado magnificamente fantástico! Estou agora elaborando uma proposta de trabalho com grupos de pessoas em fase de recuperação de cirurgias de natureza cardiovascular. E ser o elemento intermediador neste processo de crescimento ou de recuperação das pessoas é algo que me realiza profundamente, não tem preço.
Como funciona um grupo de biodanza?
Existem vários grupos específicos. Temos o grupo regular, de pessoas que brinco chamando de “normóticas”, como a maioria de nós, ou seja, um pouco normal e um pouco neurótica, com aula realizada uma vez por semana com duração de duas a três horas. Geralmente é um grupo formado por pessoas que buscam uma maior compreensão da vida, ou que atravessam um momento adverso e encontram na Biodanza o continente afetivo e forças estruturantes para superar e prosseguir.  Tenho alunos no grupo que estão há mais de 5, 6 anos, não por dependência, mas por encontrarem um espaço de nutrição afetiva que lhes permitem recarregar as suas baterias para os desafios do dia a dia.
Outros grupos de Biodanza se prestam a um determinado fim, então encontramos grupos especiais de crianças, adolescentes, melhor idade, mulheres mastectomizadas;  portadores do vírus HIV, de câncer e de Síndrome de Down; na área clinica com pacientes que apresentam psicopatologias; de educadores, em empresa etc.
O que a Biodanza tem a ver com afetividade e sexualidade?
Para passar um quadro mais completo, vou falar sobre as cinco linhas de vivências nas quais fazem parte a afetividade e a sexualidade. As cinco linhas de vivências são os canais de expressão que possuem uma gênese genética, ou seja, são inatas a todos os seres humanos. A saber: Vitalidade, Sexualidade, Criatividade, Afetividade e Transcendência, utilizando o texto da Revista da Frater (http://www.biodanza.com.br) , especifico melhor cada uma delas.
Vitalidade – à medida que cada participante aumenta a percepção de si mesmo passa a estar mais atento as suas necessidades biológicas. A Biodanza aumenta a capacidade perceptiva sobre os efeitos positivos e negativos de hábitos alimentares, sono, exercícios físicos etc. Muitas vezes vamos perceber as conseqüências de nosso estilo de vida quando já estamos doentes. O praticante de Biodanza é capaz de perceber modificações mínimas em seu organismo e tende a buscar um estilo de vida mais saudável baseado em sua auto-regulação orgânica (biofeedback).
Sexualidade – Em Biodanza a sexualidade é vista como fator integral na vida humana. A sexualidade não se manifesta somente na hora da relação sexual. Quando enfocamos a questão da sexualidade em Biodanza, o que buscamos é resgatar a relação de prazer com a vida, com cada momento do cotidiano. O colorido da vida é dado pela capacidade de desfrutar cada momento, percebendo o sabor das coisas mais simples. A relação sensual é com a vida como um todo.
Criatividade – Todas as pessoas são criativas, mesmo que não saibam disso. A criatividade é uma potencialidade presente de forma única em cada ser humano. A Biodanza busca estimular a expressão singular do participante, valorizando o que cada um tem a manifestar, descobrindo o valor da contribuição de cada pessoa. A criatividade, em Biodanza, é estimulada em dois momentos: o da inspiração - aquela conexão interior que faz com que cada um encontre dentro de si novas idéias, imagens, sons; e o segundo momento de expressão, de concretização do imaginado. A coragem de fazer, assumir e mostrar.
Afetividade – A Biodanza é um sistema antes de tudo relacional. As vivências são sempre propostas dentro de um grupo de pessoas que aos poucos vai formando vínculos de amizade e solidariedade. Nossa cultura é muito individualista, o que traz para muitas pessoas dificuldades de se relacionar, sentimentos de solidão, conflitos, competição - essas situações são lugar comum nas relações humanas em muitos grupos familiares, de trabalho ou até mesmo de amigos. A Biodanza é uma pedagogia do encontro humano, porque estimula a capacidade de se relacionar expressando o que se sente e percebendo os sentimentos dos demais.
Transcendência – Transcender é ir além, expandir os próprios limites. Em Biodanza aprendemos a ver nossas limitações como circunstanciais, resgatamos a capacidade de ter fé em nós mesmos e nas pessoas que amamos. Percebemos que temos a opção de colocar o foco de nossa atenção nas dificuldades ou na realização. Em Biodanza descobrimos vivencialmente que somos capazes de criar a realidade em que vivemos.
Concluindo, a Biodanza ao oferecer os estímulos positivos a estas cinco linhas de vivências, possibilita ao aluno atingir níveis de integração cada vez maiores, primeiramente consigo mesmo, depois com o outro e, finalmente, com o Universo.
Como a Biodanza ajuda ou atua no desenvolvimento e no auto conhecimento das pessoas?
Metaforicamente falando, a Biodanza, desperta na pessoa a necessidade e a capacidade dela participar da grande dança cósmica da vida. Sendo ela a criadora e a protagonista deste bailado existencial a partir de uma interação harmoniosa saudável com outros protagonistas.
Concretamente, a Biodanza pretende resgatar nas pessoas a integridade no sentir, pensar e agir, de modo que elas mesmas descubram aquilo que lhe é essencial, deixando de fazer as escolhas a partir das imposições preestabelecidas que são reforçados por mandatos repressores, medos, emoções e desejos reprimidos que acabam interferindo negativamente na identidade das pessoas e, consequentemente, na harmonia e na plenitude na vida.  
Qual a função do facilitador na Biodanza, qual a formação que esta pessoa deve ter?
Como o nome propõe, o facilitador facilita a vivência e proporciona a possibilidade de que o aluno seja o seu próprio terapeuta e curador.
Um facilitador de Biodanza segue um rigoroso processo de formação que dura em média de três anos numa escola de formação credenciada pela International Biocentric Foundation.  Para trabalhar com Biodanza clínica junto aos portadores de psicopatologias há exigência de que se tenha a graduação em medicina ou psicologia. Nos outros casos, a exigência que se faz é que o aluno tenha frequentado grupos regulares de Biodanza antes do ingresso e durante a sua formação. 
Qualquer pessoa pode fazer Biodanza? Grávida, criança, pessoa de idade, pessoa com necessidades especiais? Quais os benefícios nestes casos?
Como citei anteriormente, existem vários grupos especiais de Biodanza o que a torna acessível, inclusive de mulheres grávidas. 
Existe alguma contra-indicação?
Se participando de um grupo especial, contextualizado, não. Por exemplo, pessoas portadoras de psicopatologias como a psicose, a esquizofrenia etc,  devem freqüentar um grupo especial de Biodanza clínica e não o de grupo regular.  
Quais os benefícios físicos e emocionais?
Entre tantos, podemos citar:
Aumento da auto-estima e da capacidade de contornar obstáculos na vida, tornando-se mais flexíveis.
Conhecimento dos próprios talentos e virtudes;
Superação de medos induzidos pela sociedade, como o de se expressar, colocar limites, explicitar seus desejos, olhar nos olhos dos outros, aproximar-se, e tantos outros mais;
Opção por viver de forma mais afetiva e solidária; com integração entre o pensar, o sentir e o agir; e com qualidade de vida;
Por isso, as pessoas tornam-se mais felizes e passam a viver suas Vidas com mais intensidade;
Melhora a disposição para a ação - Energia Vital – e para a Comunicação;
Produz aumento da resistência imunológica;
Promove a Integração corporal e a Renovação orgânica, fazendo com que o organismo funcione melhor;
Desenvolve a criatividade e a expressão.
da Redação


                               https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 
Ops! Não foi possível realizar sua inscrição.

Inscrição realizada!

E-mail inválido