O homem sem "rótulos", melhor ou pior escolha?

29/01/2016 às 08:42

Essa ideia de depilar as partes íntimas é um discurso para uma modalidade criada para exaltar a vaidade masculina - o Metrossexual.

O metrossexual: é um termo originado nos finais dos anos 1990, pela junção das palavras metropolitano e sexual, sendo uma gíria para um homem urbano excessivamente preocupado com a aparência, gastando grande parte do seu tempo e dinheiro em cosméticos, acessórios, roupas e tem suas condutas pautadas pela moda e as "tendências" de cada estação.

O jornalista britânico que inventou o termo metrossexual, 20 anos atrás, acaba de cunhar o termo para definir uma nova "categoria" de homens: o spornossexual, mistura das palavras “esporte”, “pornô” e “sexual”.

Simpson escreveu pela primeira vez sobre os metrossexuais em 1994, no jornal “The Independent”, após ir a uma exposição organizada pela revista “GQ”, batizada “É um mundo de homens — Primeira exposição de estilo da Grã-Bretanha para homens” (“It’s a man’s world — Britain’s first style exhibition for men”). À época, ele definiu o futuro da masculinidade como uma mistura entre a vaidade, o consumo e a feminilidade. Ele previu que os homens se tornariam extremamente vaidosos e consumistas, sempre cuidando do cabelo meticulosamente e investindo em roupas e acessórios caros. Ainda apostou que eles seriam o maior mercado consumidor da década de 1990 e das subsequentes. Foi, porém, só em 2002, quando Simpson voltou ao assunto em uma reportagem para o site Salon.com, “Conheça os metrossexuais” (“Meet the metrossexual”), que a palavra “pegou” e passou a ser usada em todo o mundo.

Certamente, existe uma linha tênue entre o metrosexual e o gay e nem todos sabem onde essa linha começa ou termina. Até porque o que mais acontece são as pessoas confundirem metrossexuais chamando de gay, quando de gay eles não tem nada. Apenas são bem cuidados, digamos assim. Para ficar bem claro nem metade dos gays que eu conheço, faz o que os metrosexuais fazem, pra se manter bem. Quer saber o que nós mulheres gostamos?

Não existe uma mulher nesse mundão que não goste de um homem, por exemplo: arrumado, cabelinho penteado, com um gelzinho. Nada de acordar e já colocar um boné na cabeça pra disfarçar. Tem bonés por aí que só de chegar perto a gente sente o fedor de cair dura para trás.

Outra modalidade: cheiroso, melhor coisa que tem é quando você vai conhecer um cara e sente o cheiro daquele desodorante novo ou de um perfume recém passado! Já ganha uns 15 pontos, só de ser cheiroso.

O metrossexual tem as unhas arrumadas, curtas e sem sujeiras. Porque não dá, não desce, é nojento aquele cara com aquelas unhas grandes, feias e sujas. (Argh!)

Não é necessário dizer que ele se depila, afinal, pêlos é coisa do século passado, já era já foi. Homens sem pêlo é a melhor coisa que existe no mundo e a coisa mais limpa, minhas amigas concordam com isso. Pode vir o calor que for que não fica aquele suor nojento misturado com pelos, formando aquela pizza com a camisa!

Esse tipo de homem tem bom gosto pra escolher qualquer coisa que seja. Uma música, um móvel, um prato, um terno, um creme que é sempre muito bom! É quase que irresistível.

Ele tem alguns dotes especiais, como saber cozinhar.

Essa história de que a mulher nasce para cozinhar é algo que parece estar superado, afinal, o que elas querem na verdade é que o namorado/marido saiba cozinhar para poder dividir a cozinha com ela. Isso é mais irresistível do que qualquer homem possa imaginar.

E claro tudo sempre dentro dos conformes. Nada de exagerar. Inventar de fazer plásticas, viver em salão, ser expert em moda e viciar, ou pagar de roqueiro e pintar a unha de preto. Porque não dá, você sair usando o mesmo esmalte que sua garota, nããão dá mesmo! Sendo bem metrossexual uma base nas unhas já está quase no limite mais que isso vai ficar no mínimo parecendo gay,inseguro ou pior.

E o mais importante, jamais usar a calça que os carinhas da banda Fresno usam! Nunca. Jamais. Calça skinny

é calça de mulher, e deve ter um significado para ela estar na sessão feminina das lojas.

Também lamento informar, mas essas blusas que a gola parece que foi aquela que você não gostava e cortou, e por isso tem uma cava gigante que quase mostra seu umbigo, não é nada sexy. Aquilo não apetece ninguém. Só faz as pessoas duvidarem da sua sexualidade! Falo muito sério.

Ser metrossexual pode te ajudar mais que você imagina, mas bem de leve, só não empolga demais e acha que está abafando, e acabar que nem o David Beckham que usa as calcinhas da Victoria Beckham, a mulher dele.

Neste caso, eu não adotaria tal escolha, cada um na sua. Vê-se, ao longo da história, que o homem nem sempre foi esse troglodita feio, sujo e descabelado que costumam pintar. Vem de longe a pavonada masculina. É que de uns tempos pra cá inventaram de espalhar por aí que o homem está em crise, atordoado diante do triunfo feminino, indeciso com relação à sua masculinidade: depilação ou barba por fazer?; manicure ou futebol com os amigos?; “Rambo” ou “Titanic”?;

Outro modismo que esta surgindo é o ubersexual.

O novo perfil do homem moderno não representa uma mudança drástica em relação ao metrossexual, pois ele também se preocupa com imagem pessoal e vai às compras, mas sem ar narcisista e egocêntrico. Segundo o Urban Dictionary, que reúne expressões e termos coloquiais, "über" significa "acima" em alemão, e seu equivalente em inglês seria "super".

No entanto, os autores não mencionam uma intensa atividade sexual do "übersexual", mas a recuperação de uma certa masculinidade que, na opinião dos escritores, se perdera nos últimos anos.

Assim, o "übersexual" será aquele que confia em si mesmo sem se tornar detestável, tem um aspecto masculino, possui estilo e está determinado a alcançar os mais altos níveis de qualidade em todas as áreas de sua vida.

O metrossexual, o übersexual e outros varões deste novo milênio que me desculpem, mas certo está o jornalista Xico Sá: “Chegar aos 50 sem barriga é atestado de péssima biografia”. Deixemos algo fora do lugar. É mais divertido.

Pio Barbosa


                                     https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

Ops! Não foi possível realizar sua inscrição.

Inscrição realizada!

E-mail inválido