De que vale o novo depoimento do motorista do pastor?

A Operação 'Coffee Break' não tem como base, em hipótese alguma, o depoimento desse falastrão. Repito, em hipótese alguma. 
As provas são fartas. Documentos, depoimentos, gravações realizadas com autorização judicial,  enfim, uma infinidade de provas lícitas demonstrando que uma quadrilha extremamente articulada que operava em Mato Grosso do Sul, com um único objetivo, através do poder político, ganhar dinheiro, praticou um 'golpe político' contra o povo de Campo Grande.
Ora, a prefeitura de Campo Grande sempre se constituiu num dos mais rentáveis negócios controlados pela organização criminosa, como qualificou o Gaeco.
Com a derrota eleitoral em 2012, a horda comandada por André Puccinelli, perdeu o seu mais rentável 'investimento'.
É fato notório que, no exercício do poder, André soube instrumentalizar com perfeição os demais poderes e o Ministério Público. Mandou e desmandou, fez o que quis e bem entendeu. 
E conseguiu até mudar a vontade das urnas, pois através deste espúrio 'golpe político'- devidamente demonstrado com farto e extenso material probante - conseguiu cassar o prefeito, para colocar em seu lugar o vice, cooptado por ele para continuar desfrutando das benesses da prefeitura, através de seu braço financeiro, o 'gangster' João Amorim.
Felizmente, um ano e meio após o golpe, a marionete adotada por Puccinelli foi enxotada do Paço Municipal, indo, inclusive, passar uma temporada atrás das grades, em companhia de Edson Giroto e do próprio João Amorim. Aliás, em breve voltará, não tem escapatória. 
E o tal Fabiano de Oliveira Neves, pelo visto, tem o caráter semelhante ao do seu ex-chefe, ou seja, é totalmente sem caráter, aficcionado por levar vantagem, aético, imoral, amoral e pouco inteligente.
Assistiu de camarote o desenrolar das falcatruas e quando, possivelmente deixou de ser atendido em suas necessidades inconfessáveis, delatou a patifaria, corroborando inúmeros outros depoimentos, inclusive de alguns vereadores, farta gravação e um cansativo arsenal documental.
A nova postura deste sujeito juridicamente é imprestável. Serve tão somente para a imprensa marrom fazer alarde e para o advogado Renê Siufi, que defende Puccinelli, bravatear.
Voltaremos ao assunto, com mais detalhes sobre estas figuras perniciosas ao convívio em sociedade.
José Tolentino
Editor do Jornal da Cidade Online
jose.tolentino.filho@gmail.com

                                https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

José Tolentino

Jornalista. Editor do Jornal da Cidade Online.