Só Poesias: Versos dispersos...

Tu és de mim o segredo jamais revelado... Amei-te em silencio por longo tempo...Tu me encantaste....roubaste meus suspiros

**Versos dispersos...**
Tu és de mim o segredo jamais revelado...
Amei-te em silencio por longo tempo..
Tu me encantaste...roubaste meus suspiros
Poemas e canções...as lágrimas...me trouxeste a insônia...
Acordaste meus desejos que adormeciam desencantados...

Eu só tenho olhos pra ti...queria prender-te em
Meus abraços...inundar-te com afagos...
Sussurrar em teus ouvidos toda esta minha paixão...

E rabisco
meus avessos nos versos dispersos...
nas paredes frias dos meus desencontros e sonhos desfeitos...
ansiosos ...inquietos...por ti!

Fala-me só por um momento:” Também te quero assim...”
*Celina Vasques*

**Cristalina**
Sinto vontade de adormece
recostada em teu ombro...
Contar-te todas as mágoas, saudades,
Tristezas e alegrias que se passaram.
Falar-te deste amor tão grande que SEMPRE
Esteve presente na minha vida...

Sinto vontade de sentir teu perfume inebriante
Que a todo o momento
Nas tuas ausências eu sentia no ar...
Como se a brisa o trouxesse
Impregnando meu ser de ti!

Busquei na memória o passado perdido
O olvidado mistério das noites
nestas frias brumas onde sopram brisas de nostalgia
- Pobre sonhadora-
Cristalina
é minha alma ao falar em ti!
*celina vasques*

**A tua canção...**
Sentei-me ao piano e toquei uma melodia que
Compus pra ti
Enquanto a melodia invadia as paredes brancas do salão
As lágrimas escorriam quais gotas de pérolas...
Talvez seja a cor de minha alma...
Sei que a memória não esquece...
Ainda mais quando o amor foi mais que uma ilusão...
Volto a dedilhar... Fecho os olhos e tenho a sensação de estar
Em frente ao mar... Chego a ouvir suas ondas batendo nas pedras..
Aprisionei no olhar a fragilidade da espuma
Sou gaivota inatingível que repousa
Na mansidão da areia e volto a ouvir a canção das marés..
Sei-te longe, mas dentro de mim...
Arde em meu peito... Esta saudade
Embriaguei-me da minha solidão...
Brotam notas musicais das minhas mãos...
Amordacei meu grito de amor no profundo do coração
...e toquei novamente a tua canção...!
*celina vasques*

**Sabes!...**
Sabes…
quantas vezes
te imaginei
ao longo da minha vida
e quantas vezes te sonhei
em cada noite mal dormida
sem nunca
te dar um rosto
ou uma cor de olhos
ou uma palavra
proferida?

Sabes…
quantas vezes
em sonhos te beijei
e quantas vezes
ao amanhecer
te senti no vazio
do meu ser?

Não…não sabes
nem sabes
que mesmo sem te conhecer

tantas vezes
no silêncio da minha alma
idealizei as palavras
que havia
de te dizer…

Sabes!...
um dia te direi
que neste meu viver
tu…foste a razão
de eu não “morrer”

neste louco desejo
de te ter…
*Teresa Costa*

**É tão difícil não pensar em ti**
e não te querer
quando tudo em mim grita por ti
quando mergulho em mim
e te encontro em cada canto
e se emudeço perante ti
é de espanto
de te encontrar sempre e ainda
ao canto dos meus lábios
cantando-me refrões de outros tempos
É tão difícil não pensar em ti
e não te querer
quando me avizinhas em cada esquina
quando me foges corpo acima
e eu me tento entre o medo
e o desejo
guardar-te dentro de um beijo
que me saiba só a ti
É tão difícil fechar os olhos
e ver-te a ti
sempre a ti
onde deveria estar apenas eu
*são reis*

**Você _**
Os meus espaços antes vazios,
hoje estão repletos de você
que chegou bem de mansinho
despertando silenciosamente
a sensações do AMAR.
E eu parei a horas querendo
ser dono do tempo,
congelando nossos momentos,
fechando os meus olhos
para o passado e almejando
o meu presente e o meu futuro
ao seu lado.
Deito-me em meus sonhos
pois eles já te conhecem bem
das vezes que marcamos
encontro neles...
Onde eu conheci os teus beijos
que enlouquecem
e os teus abraços sem tempo
para o fim...
O teu cheiro que fixa em minha
pele quando encaixo-me nos
contornos seus.
E então visto-me de cores por mim
inventadas, onde esqueço-me
do peso do silêncio
que habitava na escuridão de estar
só, pensando ter alguém.
Já não existe solidão em mim,
eu te encontrei Baby.
E mesmo distantes,a todo instante,
ouço teu sussurrar sempre
dizendo-me amor, sou tua e és meu!
E isto me leva a fechar os meus olhos
e desejar não ser mais como eu era
antes de você.
Hoje ao acordar-me olho pela vidraça
ainda sentindo não desperto do sonho,
abraço e afago o seu travesseiro.
Respiro fundo, de olhos fechados
procuro-a no fundo do meu respirar
e murmuro baixinho entre um sorriso
que escapa em mim ainda quase
dormindo,como é gostoso te amar.
* Joe Luigi_*

**Quero Silêncio_**
Quero os teus cabelos roçando-me a face
sentir o teu hálito com cheiro de amor
Quero os teus abraços que acolhem-me,
quero os olhos nos olhos sem medo
de nos olhar.
Quero paixões que são amores sem juízo,
quero sentir carinho num afago do vento,
olhar para o infinito e ver teu rosto
sorridente.
Quero os meus pensamentos e pés ligeiros
para correr ao encontrou teu.
Quero jogos barulhentos, quero toques,
muitos toques seus, despertando os meus
sentidos.
Quero as minhas memórias livres, soltas,
desfrutando da brisa mansa do vento.
Eu quero estar ai e te acordar de manhã
com beijos.
Quero ver os teu olhos sorrindo-me
carícias.
_Quero silêncio!
Sem palavras e nenhum murmúrio,
Quero um silêncio eloquente.
Para que possa ouvir nitidamente,
a voz do nosso amor e escutar,
o meu coração batendo dentro do seu.
Serão momentos inesquecíveis nossos,
mas que serão meus para sempre.
* Joe Luigi*

*Eu queria poder caminhar*
E concluir meu caminho
Mas ainda sobra estrada
Ainda tem muitos recomeços
Ainda tão incompletos
Com vazios plenos de mim
Meu olhar se perde...
Meio turvo pelas lagrimas
E o caminho eu sigo...
Meio meu meio cheio de tudo...
Sigo, dias vivendo, sentindo...
Sem reter as emoções...
São sentimentos simples, bobos...
A poesia insiste em me invadir
Deito nos versos e declaro o amor
Dentro de mim mora a ilusão...
Não a perco pelo caminho...
Ela é meu mundo escondido
Ela gera momentos...
Que me causa incômodos
E muitas alegrias...
Sigo a estrada...
Sigo a humanidade
Distraída com os excessos de sonhos
E assim sigo a minha direção...
Rumo à vida, cheia de emoções.
*Elaine Coletti*

**Sequer...**
Sequer vi teu
olhar parar e fazer o meu bilhar.
Sequer senti teu toque ofegante,
que sentia me abraçar.
E foi nos beijos que nunca
dei que desesperadamente
...Eu te fiz me amar.
Foi olhando o céu que me
transportava para um castelo
numa nave de sonhos que
....Jurei me entregar.

Sequer senti teu
cheiro, mas podia senti-lo no ar...
Sequer recebi de outro alguém
só o que você podia dá.
E esta porção de amor e desejos
preencheu meu coração.
Ah...E brincávamos de viver!
Agradecendo o que
imaginávamos ter.
Sequer... Pensávamos esta
ligação romper.

Sequer vi teu rosto mas
para que se eu podia sonhar com linhas
as quais meus olhos queriam ver.
Amei-te desesperadamente
e se foi sem nada dizer.
Sequer um recado deixaste,
ou qual que seja o favor
...Um conforto talvez
a quem tanto emocionou "nada fez”.
Volta, volta vem novamente
brincar de amor.
*Marisa Torres*

**MEU SILÊNCIO**
Não te aflijas com meu silêncio
Sou assim...
Se me entristeço, fujo
Se me firo, me Isolo
Não é por mal que me ausento
É que minha alma,
quando ferida, sangra
essa dor me faz sufocar
Entenderás um dia,
que mesmo em silêncio, amo-te
E que meu silêncio...
É apenas um grito sufocado pela dor
*Lúcia Polonio*

**SOL NO OCASO**
Esconde-se o sol por trás da colina
Toca o sino ao longe na igrejinha
Nos ninhos as aves dormem juntinhas
Aguardando a estrela matutina.
A saudade bate intensamente
No coração que canta a melodia
Que um dia fez parte da sinfonia
De um amor que nascia docemente.
É nesta hora que no céu é pintada
Uma tela com cores do arco-íris
Projetando imagens na minha íris.
Em êxtase admiro da sacada.
Finais de tardes chegam à mente
São tantas histórias a contar
Lembranças começam a chegar
As lágrimas rolam lentamente.
Neste momento a brisa do vento
Beija minha face com carinho
Agradeço e sigo meu caminho
Juntando todos os meus fragmentos.
*Neneca Barbosa*

**AMIZADE**
Amizade!...E um tesouro
De jóias raras… Pedras preciosas
As minhas são lindas rosas
Delicadas sedutoras…Perfumadas
Coloridas e formosas
A todas…Eu adoro!
A todas… Acarinho!
Trato-as com amor
Brancas ou amarelas, vermelhas, cor de vinho
São todas… A minha flor!
Especiais!…
De delicada textura
Mas…Se as descurar…
…Soltam-se… Os ais!...
São doces!… Com espinho
Qualidade e defeito
Cada uma á sua maneira
A todas devo respeito
É assim a amizade verdadeira

Cada ser…é um ser
Igual…Mas diferente
Amar é um dever
Independentemente
Da semente…
A amizade a valer
Chora quando eu chorar
Festeja quando festejar
E sofre!
Ao ver-me sofrer
*Conceição Carraça*

**A poesia chora**
Brilho dos meus olhos
em algum lugar
te perdi.
Procuro nos sonhos, nas
fantasias,
procuro no dia a dia;
creio que se esqueceu de mim.
Ergo um olhar à natureza
na esperança de lhe encontrar,
tento ousar da sedução,
do amor e da paixão;
também não consigo encontrar.
Minhas mãos deslizam
no vazio,
por ora sou sombra, abismo
uma poesia que só
sabe chorar.
Sem brilho no olhar
preciso te encontrar,
para ter nexo, viver.
O meu brilho, o meu versar
*Elisabeth Gl. da Conceição*

**Sonho meu**
Ah! Sonho meu
dos olhos que fascinam,
dos lábios que encantam,
do carinho que acalenta...
E o desejo de acarinhar-lhe
fica aguçado...
Uma sensação de amor fica no ar!
Invade o corpo! Causa arrepios.
E os sonhos desabam de uma nuvem...
Ah! sonho meu
dos olhos extasiantes...
que me prendem em devaneios
à margem de seus delírios.
Me deixo levar pelas ondas dos versos,
das palavras, das letras que surgem do nada
e me pego compondo poesia pra você...
Ah! sonho meu!
*Su Simon*

*Tudo pode ser ilusão...*
Na verdade tudo está no passado...
e o que a gente vê e sente é miragens,
pensamentos, energia de amor.
Uma eterna saudade,
que se transformaram em imagens...

Na verdade são mensagens do coração,
que nunca vão morrer, se eternizaram,
e no cosmo viajam... e se interajam
com outros afins... com corações apaixonados...

Pois tudo fica num céu aberto,
como as estrelas, os planetas...

E talvez seja verdade... e que tudo é ilusão...
são apenas sentimentos de amor,
de um passado longínquo,
que ainda se comunica comigo,
toca o meu coração, ilude a minha visão...

O nosso amor que se eternizou,
e que hoje habita em todas as terras,
faz parte desse universo de Deus...
*Cláudio Domingos Borges*

**MEU AMOR**
Nesta data, eu recordo com emoção
O dia em que nos conhecemos,
E apaixonados por um olhar ficamos
Que guardei para sempre no coração
Foi num dia de São Valentim, que por
um mero acaso nos cruzamos
Não fazíamos jus a essa data e nesse dia
O amor da nossa vida encontramos
Numa saída banal, quase esbarramos os dois
E desde então, nunca os corações separamos
Continuamos sempre juntos amando-nos
Por muitos anos e até hoje se perfuma
A paixão que desse encontro perdura
Do nosso amor ateia viva e acesa a chama
Onde cada dia é novo e a cada amanhecer
Renova o amor, que somos ricos por o viver
Com renovada emoção, repleto de ternura
*Catarina Pinto Bastos*

**Desejos expostos nutrem**
intensificam meu olhar
Que é feito de diamante
Encontra a magia que expressa
Com filosofia
o encantamento na minha
poesia..
Quero viver na capacidade
de sentir
comover-me diante da beleza
e sonhar.
Com arremesso no olhar
sorriso sincero e triste
Feitos lágrimas poetes.
Preenchendo meu semblante
sereno
Polvilhando de ouro meus cabelos
cor do sol.
Lábios que escondem
o silenciar de bocas
beijos exalando fragrância da paixão
Porque existe muito de nós,
dentro da essência
No planto dos ensejos, que gritam
o amor em desejos tão nossos...
*Poetisa Sandra Pires*

**Cuidando do nosso jardim**
Meu jardim era tão triste
Quase não havia flor
Um jardineiro chegou de bom grado
plantou sementes de amor
tratou da terra seca
aparou as folhas mortas
das sementes,
vieram flores de toda cor,
-Que belo teu jardim! -Jardineiro exclamou!
Mas a primavera passou
no outono que chega agora
As flores caem ao chão
É a força da NATUREZA
LUTE jardineiro!
É preciso regar mais vezes,

Arar a terra, curar as flores!
Antes que chegue o frio do inverno
E aquele rosa que outrora viçosa
Morra triste por falta do teu cuidado...
*Anna Carvalho*
[....]
Tenho o meu jardim
sempre florido,
com rosas
dos amores, paixões
pelas mulheres da minha vida!

Existem rebentos
a florescer
como rosinhas,
as rosinhas da minha Vida!
Todos os dias
olho para o jardim
e meus olhos se encantam

vendo em cada flor
uma parte de mim!

Aproximo-me de cada uma
e acarinho, dou amor
e sorrio…

… cada flor
é uma história vivida,
com encanto,
paixão e amor!
O jardim do meu encanto
ficará…
e eu um dia
partirei
com o meu corpo coberto
de pétalas de amor!
*José Manuel Brazão*

**A vida passa**
Olhando pelo túnel do tempo que se forma nas gotas que escorrem pelo vidro,
vejo toda a minha vida correndo na estrada... fantasmas a passar por mim.
Ao som de memórias que ecoam em meus ouvidos,
descubro desvendado no céu nublado e anoitecido
tantas incógnitas que me apagaram o sorriso franco.
Hoje, embora ainda delgado,
como quem busca um grau maior de compreensão,
desnudo na ternura tímida dos lábios sequiosos, a esperança disfarçada
de ilusória certeza de que agora posso entender tudo que vivi...
E sigo no aguardo eterno da próxima emoção
que fingindo ser razão, se permite fazer morada em mim
pelo simples fato de crer que possui o natural direito de acontecer.
*Gil Façanha*

**Sou serenidade reversa as atribulações que se impõem enquanto caminho.**
Não há o que me assombre enquanto o amor me sustente.
Minha alma silencia enquanto penso, subtraindo farpas ocasionalmente instaladas.
Incômodas situações temporárias que conduzem a aprendizado seguro.
Amanhece...
Possibilidades instalam-se a cada segundo de vida.
Passado comprido e cumprido...
Lembranças vivenciadas, possíveis certezas que variam ao amadurecer.
Algo de novo estabelece inconstantes pensamentos.
Renovam-se atitudes antes rejeitadas por reflexões invariáveis.
Há alma...
Inquieta, descoberta, fendida e sonhadora.
Fonte de vida renovável
Contraditória e incompatível
Desvia-se de predestinações e destinos.
Construção indefinida, projeto indeterminado.
Circunstância de vida fluente
Impondo-se enquanto Ser.
*Wanderlúcia Welerson Sott Meyer -*

**DISTANTE (?)**
Será que distante é realmente tudo aquilo que não está perto? É tudo aquilo que não conseguimos tocar ou pegar? É tudo aquilo que queremos de uma forma imediata e que não conseguimos ter? Discordo
dessa máxima tão simples... também da funesta pergunta que me fazem aos barrancos de palavras jogadas e da necessidade de respostas absolutas.

Distante, na melhor interpretação, é tudo aquilo que foge de si mesmo, que foge do outro sem que se perceba ou de um modo proposital. Distante, entre subliminares, é o silêncio mais absoluto, é a
programada falta de lembrança, é a dor do erro irreparável e mortal.

Distante é a soma de atitudes que conduzem a perda, a solidão, ao sofrimento e ao vazio interior. Distante é um amontoado de acontecimentos que levaram a um mundo de questões insolúveis; um tanto de
falta de amor próprio e amor ao outro.

Distante é tudo aquilo que (muitas e muitas vezes) mesmo apegado, mesmo tatuado, mesmo impregnado dentro da gente... perdeu totalmente o sentido!
*Adriano Hungaro*

                                                https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.

Maria Catherine Rabello

Pernambucana, amante da poesia. “Amo minha vida e todos que fazem parte do meu mundo. Poesias são sonhos vividos, lembrados ou desejados. Poesia acalenta a alma e o coração. Sonhar é viver, viver feliz! Amo poesias, poesias de amor sempre! Sou sonhadora e feliz. Meus rabiscos são meus segredos, meu baú de sentimentos. Apresento lindas poesias de muitos corações iguais ao meu. Amar sempre!