Bonito: uma cidade como qualquer outra

A cidade de Bonito, referência quando se trata de ecoturismo, conquistou este título graças à natureza exuberante que encanta tanto o turista brasileiro, como também, os gringos.

A partir do ano 2000, aproximadamente, vimos chegar até esta cidade, olhares curiosos cujas retinas, cansadas do céu cinzento e do verde já há muito apagado, puderam visualizar aqui um pedaço do paraíso, onde seus corações decidiram por fazer morada.

Esta cidadezinha conquistou muitos forasteiros, inclusive a mim! E tantos outros que foram se chegando, ajeitando o olhar, percebendo o encanto, a mágica que conquista cada ser humano que se deixa banhar nas águas deste Rio tão Formoso.

E é nesse estado de encantamento que nos deixamos levar e vamos, pouco a pouco, nos tornando definitivamente, bonitenses. Incorporamos o vocabulário, os trejeitos, nos adaptamos ao tiquetaquear lento do relógio, ao comércio que faz sua sesta diariamente e acabamos por achar normal os carros com os vidros abertos, chaves na ignição, capacetes nos guidões das motocicletas.

Até que um dia, alguma coisa começa a incomodar, damos conta de fatos, acontecimentos, situações que trazem à tona o outro lado da moeda. É quando a ficha cai....

A partir desse momento, você se enxerga como cidadão, sem os arroubos de quando foi conquistado pelas belezas naturais. 

Percebe que em meio ao grande apelo turístico, há uma rodovia de acesso em condições deploráveis e vergonhosas. Há um sem fim de buracos em toda e qualquer rua asfaltada. Há córregos urbanos, que despejam todo o seu conteúdo (latinhas de alumínio, plástico, todos os tipos de resíduos) no Rio Formoso, é.... O tal Rio Formoso que é a galinha dos ovos de ouro deste “paraíso ecológico”.

Existe todo um movimento obscuro por trás de instituições que se intitulam ambientalistas, quando na verdade, o que está em jogo, está longe de ser a preservação e conservação do meio ambiente.

Há algo que não cheira bem, algo de podre por trás disso tudo e que não é somente a estação de tratamento de esgoto que não tem outra saída a não ser abrir seus registros na alta temporada, para despejar todo o detrito excedente diretamente no rio, pois não foi feito o devido redimensionamento para comportar o número cada vez maior de moradores e turistas.

Apesar disso, apesar da decepção em constatar que aqui temos problemas como em qualquer outra cidade do país, me faço insistente e persistente para acreditar, junto de tantas pessoas que também compartilham do mesmo pensamento, que é possível a quebra de alguns paradigmas.

O remédio pode ser amargo, mas se for através dele que se recupere a saúde, a verdade e a moralidade, que assim seja!

Luciana Brandalize

                                     https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online

Luciana Brandalize

Articulista e redatora que transforma sentimentos em palavras.