Surgem os primeiros levantamentos do rombo da ‘era petista’

Os primeiros levantamentos apontam que a presidente-afastada Dilma Rousseff e o PT estão deixando de ‘presente’ para o Brasil um rombo de aproximadamente R$ 200 bilhões. Pasmem, pode ser ainda maior! Neste valor babilônico ainda não estão incluídas as prováveis maquiagens na Caixa, no Banco do Brasil e no BNDES.

Você sabe o que esses ‘dados iniciais’ representam em termos de orçamento público? Dar-te-ei três números capazes de demonstrar a envergadura do rombo. Ei-los:

→ R$ 200 bilhões são oito anos de Bolsa Família;

→ R$ 200 bilhões representam 16 anos de FIES;

→ R$ 200 bilhões equivalem a cerca de 60 vezes o orçamento para 2016 destinado ao agora tão lembrado Ministério da Cultura.

Se considerarmos o contingenciamento de 60% determinado em fevereiro pela própria Dilma Rousseff, o rombo deixado é equivalente a mais de 150 vezes o orçamento da Cultura.

O que isso significa?

Significa que, quando você assiste, ouve ou lê alguém gritando que ‘golpistas querem acabar com direitos sociais’ ou que fundir o Ministério da Cultura com o Ministério da Educação - MEC é ‘atraso’, ‘descaso’ e difamações congêneres, saiba que, certamente, o interlocutor desconhece a realidade do Brasil.

Ou pior. Provavelmente o interlocutor não tem dignidade para reconhecer o descalabro nas contas públicas brasileiras promovido pela quadrilha que permaneceu no poder por longos 13 anos, 4 meses e 12 dias.

Noutras palavras, é o uso da má-fé como escudo para suas mixórdias.

Helder Caldeira

www.ipolitica.com.br

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.