Acabar com privilégios para qualificar a classe política. A hora é agora!

Diante de tantos escândalos, a classe política brasileira nunca esteve tão enfraquecida. É o momento exato para a sociedade impor uma série de exigências com o objetivo de melhor qualificar os nossos representantes.

A votação do pedido de afastamento da presidente Dilma Rousseff foi uma pequena demonstração do péssimo nível moral e intelectual de nossos parlamentares. Um espetáculo deprimente. O que nos leva a conclusão de que a grande maioria busca tão somente os benefícios e privilégios que o cargo oferece.

A rigor um parlamentar deveria exercer o seu mandato motivado por sua ideologia, para defender ideias e propor leis que beneficiassem a população.

Definitivamente não é o que acontece.

A quase totalidade está lá porque conquistou o mandato através de esquemas financeiros e sem qualquer compromisso com a coletividade.

Assim, diante de tantos fatos que vem sendo revelados, demonstrando a má conduta da classe política, parece ser a hora exata para a sociedade exigir uma série de medidas com o objetivo de moralização.

Um deputado federal, por exemplo, recebe 12 salários por ano, e mais 13º, 14º e 15º salário. Um absurdo!

Recebe ainda, ajuda de custo, cotas, auxílio moradia, ressarcimento ilimitado de despesas médicas e verba de gabinete. Assim, um deputado federal custa em média mensalmente em torno de R$ 130 mil.

A Câmara dos Deputados é composta por 513 deputados. A primeira exigência poderia ser a redução desse número, para no máximo 150 deputados, além de acabar com os privilégios e com o exorbitante salário.

Político com mandato deve receber apenas uma ajuda de custo para o exercício de seu cargo. Mandato eletivo não é profissão.

Vereador, deputado estadual e deputado federal devem ser eleitos para representar os anseios de sua comunidade, ou de sua categoria profissional, ou de seu sindicato, ou de qualquer grupo que o eleja.

Somente com o fim dos privilégios, poderemos evitar que pessoas desqualificadas e sem representatividade, ‘comprem’ o mandato para se enriquecer e defender interesses escusos.

Por outro lado, esse carcomido universo político atual, acaba afastando pessoas bem intencionadas e que poderiam de fato debater os problemas da cidade, do estado e do país, vislumbrando o melhor para todos.

São algumas ideias que a sociedade deve encampar e discutir.

Somente acabando com privilégios poderemos traçar o caminho no sentido de que tenhamos parlamentares com verdadeira representatividade e melhor qualidade.

A hora é agora!

José Tolentino

Editor do Jornal da Cidade Online

José Tolentino

Jornalista, diretor da empresa JT Comunicação e Editor do Jornal da Cidade Online.