Anvisa proíbe venda de extrato e molho de tomate com pelo de roedor. Como assim?

Parece muito estranho. Pelo de roedor no extrato ou no molho de tomate?

Quais roedores? Ratos, ratazanas e camundongos.

É verdade!

As empresas alegam que a presença de pelo de roedor se deve à matéria-prima, que vem do campo.

Assim, o limite máximo é um fragmento de pelo para cada 100 gramas de molhos, purês e extratos de tomate. Acima disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não permite.

Em lotes de extrato de tomate das marcas de extrato de tomate das marcas Amorita, Aro, Elefante e Predilecta e de um lote de molho de da marca Pomarola, laudo apurou pelo de roedor acima do limite máximo de tolerância.

Diante disso a Anvisa proibiu a venda de diversos lotes das marcas citadas.

As fabricantes terão que recolher os produtos do mercado.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda e distribuição em todo o país de quatro lotes de extrato de tomate das marcas Amorita, Aro, Elefante e Predilecta e de um lote de molho de tomate tradicional da marca Pomarola após um laudo detectar pelo de roedor acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente.

A resolução da Anvisa de nº 1.995 proíbe a distribuição e venda do extrato de tomate da marca Amorita, fabricado pela empresa Stella D'Oro, lote L 076 M2P, válido até 01/04/2017.

A resolução nº 1.996 proíbe a distribuição e venda do extrato de tomate da marca Predilecta lote 213 23IE, válido até 03/2017, e também do extrato de tomate da marca Aro, lote 002 M2P, válido até 05/2017. A Predilecta Alimentos é responsável pela fabricação dos produtos.

A resolução nº 1.997 proíbe a distribuição e venda do molho de tomate tradicional da marca Pomarola, lote 030903, válido até 31/08/2017, e também do extrato de tomate da marca Elefante, lote 032502, válido até 18/08/2017. A Cargill Agrícola é a fabricante dos produtos.

da Redação