O sofrimento de uma ex-primeira dama na prisão

Andreia Zanelato Olarte é uma moça de origem humilde, nascida em Votuporanga (SP), que ainda jovem casou-se com um pastor evangélico, com quem teve dois filhos.

Vindo morar em Campo Grande (MS), apaixonou-se por um outro pastor, Gilmar Olarte, que seria o seu segundo marido.

Passou a viver um novo ‘status’, pois o novo marido tinha envolvimento no meio político, tendo ocupado por dois anos o mandato de vereador em Campo Grande (MS), família grande, radicada há muitos anos no estado.

Gilmar, por sua vez, por força de seu envolvimento com Andréia, foi expulso da igreja em que congregava. Também apaixonado, conseguiu um terreno com o então prefeito Nelsinho Trad, e montou sua própria igreja, a ADNA.

Paralelamente, despontava na política o então deputado Alcides Bernal, do PP, o mesmo partido de Gilmar Olarte.

Em 2012, líder nas pesquisas, Bernal anunciou sua candidatura a prefeito de Campo Grande (MS).

Olarte, que até então vendia uma boa imagem, ex-vereador, pastor, gente da terra, ‘bem casado’, foi escolhido para vice.

O pleito foi extremamente complicado, pois Bernal enfrentava a hegemonia de uma verdadeira quadrilha, que há 20 anos comandava a prefeitura de Campo Grande.

O poderio da organização criminosa era tão grande, que diante da iminente derrota que se anunciava na eleição, iniciaram a confecção de um ‘plano B’.

Retomar a prefeitura na ‘mão grande’. Para tanto, cooptaram o vice-prefeito e montaram um esquema para cassar o mandato do prefeito Alcides Bernal.

Com o envolvimento de toda a quadrilha, que segundo o Ministério Público, incluía o ex-governador André Puccinelli, a família Trad, 23 vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande, inúmeros empresários e o gangster maior João Amorim, cunhado de Nelsinho Trad, braço financeiro da organização criminosa.

No dia 13 de março de 2014, concretizaram o golpe político. Bernal foi cassado.

O que a quadrilha não contava é que tanto a Polícia Federal, quanto o Gaeco, já monitoravam todas essas movimentações, acordos, conchavos e negociatas.

Gilmar Olarte assumiu a prefeitura e virou uma marionete na mão dos ‘golpistas’, mas Andreia se deleitava na condição de 1ª dama de Campo Grande.

A cidade viveu um caos, dilapidaram os cofres da Prefeitura Municipal de Campo Grande, todos se chafurdaram no mar de lama.

Felizmente, no dia 25 de agosto de 2015, com o golpe desvendado, o legítimo prefeito reassumiu o cargo.

Antes porém, diante da safadeza generalizada, Gilmar e Andreia providenciaram fazer um vasto ‘pé de meia’. A dupla adquiriu um enorme patrimônio com o dinheiro roubado do povo de Campo Grande.

Todavia, um eficiente trabalho do Gaeco e da Polícia Federal está desvendando toda a farsa.

A organização criminosa age para transformar o casal de larápios em ‘bode expiatório’.

Andreia, na cadeia, sofre muito. Já teve que sair duas vezes por problemas de saúde, incomuns numa pessoa tão jovem.

Gilmar, diante da situação, está amargurado. Ainda é apaixonado pela esposa e estaria disposto a delatar toda a quadrilha.

São novos e emocionantes episódios que iremos assistir brevemente.

Muito mais gente deverá ir conhecer o ‘xilindró’, inclusive muitos candidatos no atual pleito.

Quem viver verá!

José Tolentino

Editor do Jornal da Cidade Online

José Tolentino

Jornalista, diretor da empresa JT Comunicação e Editor do Jornal da Cidade Online.