Desobrigue-se!

Muitas informações, sugestões, opiniões – sua e dos outros - posicionamento acerca disso e daquilo, interpretações, orientações, modos de viver, definições…. Simplesmente somos bombardeados diariamente com tantos e tantos chamados que uma hora isso tudo explode e o que somente se quer é sossego!

Fazer qualquer malabarismo mental, por mínimo que seja, traz consigo uma tonelada de energia despendida. E pra quem está exausto em qualquer perspectiva, isso pode custar e muito.

A obrigatoriedade de escolha, a necessidade de se estar do lado de cá ou do lado de lá, é cruel demais. Não existe o leve fluir dos pensamentos, a dança invisível de hipóteses, a doce calmaria sem pressa de ser/acontecer. Isso não faz parte do cardápio.

É realmente doce e efêmera a sensação de se desligar, mesmo que só por breves espaços de tempo.... De tudo e de todos.... De todas as cobranças desesperadas, das decisões imediatas, das demandas infinitas.... Isso cansa. Essa é a verdade.

Carregamos com pesar a nossa vontade de ficar de papo pro ar e não ter que optar pelo azul ou pelo amarelo, doce ou salgado, frio ou calor, pelo apoio ou não ao Moro. O desejo do vazio, do vácuo é praticamente impossível de acontecer....

Anseio em ser como os lírios do campo, os quais tem a Providência Divina a lhes assegurar o futuro. Às vezes quero me deixar levar pela suave correnteza fresca do rio que passa no meu quintal.

Acredito que é hora de se fazer o caminho de volta, retornar ao começo, reassumir sua essência e aplaudi-la. Respirar fundo e retomar as rédeas, deixar pra trás correntes e algemas, pesos mortos que nos mantém irreal e mascarados.

Abandonar o que fomos até hoje e refazer propósitos exige perseverança, fé, otimismo e muito foco.

E não pense que mudar de cidade, de ares, de religião, de amor, ou de qualquer outro artifício externo fará isso acontecer. Isso é seu, único, indivisível, exclusivo. Esta vontade está dentro de cada ser, em algum lugar por vezes de acesso quase impossível, mas.... Se for chegada a hora de renascer, você o encontra em um átimo!

Você está disposto ou ainda tem muita lenha pra queimar até que se dê conta do buraco em que se enfiou? Da encrenca em que se meteu?

Quem tem tempo e principalmente coragem pra fechar os olhos, olhar pra dentro de si e admitir que já ultrapassou a barreira do razoável? Que desculpa vai dar pra parar e pensar no que realmente importa? Quem é você, de verdade, afinal de contas?

Luciana Brandalize

Luciana Brandalize

Articulista e redatora que transforma sentimentos em palavras.