Governo doa a clubes de futebol: A sociedade cearense penalizada e os clubes protegidos, a quem recorrer?

É inaceitável estes dias em que vivemos, onde os valores humanos parecem estar subjugados a interesses frívolos, a ideias rôtas, a vidas cujos destinos expressam o caos da moralidade ou até mesmo a inversão desta, por “modelos” que invadem nossas vidas e que parecem revelar no íntimo, o quanto estamos distantes de uma postura que nos possibilite a compreensão do que seja verdadeiramente justo e/ou aceitável nestes tempos. 

Afinal que geração estamos formando? Será que podemos olhar para o futuro acreditando que esta geração que aí está será de fato capaz de dar um basta a toda falta de decoro parlamentar, a falta de eticidade na condução de medidas que possam ajudar aos mais necessitados? 

Fica fácil achar que o povo acredita em campanhas bem montadas, limpas, enquanto a verdade se nos apresenta um retrato sombrio, de crises que cerceiam toda sociedade.

Somos potencialmente, uma cidade insegura, temos problemas de diferentes origens, além do descumprimento tácito do governo ao direito que tem o trabalhador de ser alcançado por uma remuneração digna e justa. Se tem dinheiro para "bancar" os clubes, por que não tem para pagar servidores? Com a palavra o Governador.

Infelizmente, professores, servidores públicos, estão alijados de direitos, não há qualquer respeito aos direitos adquiridos. Por que razão, o governo dá de forma graciosa uma importância elevadas a clubes, enquanto, temos problemas estruturais que vão desde o desmonte da educação, a expansão da criminalidade, a ausência de segurança pública e os problemas na saúde, enfim, como entender um governo que prefere doar livremente recursos aos clubes enquanto aqui, temos, uma população que esta sendo esquecida, abandonada e vergonhosamente desprotegida por força do descaso oficial do governo do Ceará, enfim, eu não creio em milagres politicos, mas, se houvesse a intenção digna e justa do governo em olhar para o cidadão seria bem melhor do que, pensar no futebol cearense, afinal, quem paga as minhas contas sou eu, mas, não quero ver o meu dinheiro dentro de clubes, mas, em obras que possam viabilizar a conquista de direitos do cidadão. Os clubes podem se virar sozinhos, não vou a estádios, não dependo em nada de clubes de futebol, mas sou contrário a disposição orçamentária do governo para clubes, enquanto temos problemas maiores na estrutura do poder, do governo que só pensa em omitir sua decisão a favor de quem merece maior credibilidade, qual seja, a sociedade cearense.

Pio Barbosa Neto

Professor, escritor, poeta, roteirista

Pio Barbosa Neto

Articulista. Consultor legislativo da Assembleia Legislativa do Ceará