Denúncia contra Roberto Kalil por formação de quadrilha e tráfico de influência foi abafada em 2012

O autor da denúncia é um médico, ex-assistente de Roberto Kalil.

Trata-se do Dr. Leonardo Vieira da Rosa que em 2012, através de uma carta dirigida ao Ministério Público do Estado de São Paulo acusou Kalil de formação de quadrilha e tráfico de influência.

Na carta Vieira da Rosa enumera 11 tópicos onde faz acusações que vão de assédio moral a uma fraude envolvendo o Incor, onde Kalil manteria vínculo trabalhista mesmo sem comparecer e prestar serviços. ‘Esse senhor se faz valer de influências políticas para atingir objetivos acadêmicos e profissionais’, acusa.

Após as denúncias, o denunciante passou a ser severamente perseguido, tendo sido demitido de seus dois empregos.

Um dia após o envio da carta, o médico disse ter ido até um hospital em que atuava como médico pesquisador e percebeu que todos os seus projetos estavam bloqueados. No dia seguinte, recebeu um email comunicando seu desligamento da instituição.

Por outro lado, a denúncia feia ao MP não prosperou e parece ter sido abafada.

A luta contra pessoas poderosas como Roberto Kalil Filho é árdua.

da Redação