O drama das crianças doentes num país de bandidos e a reportagem do Fantástico sobre crianças transgênero

14/03/2017 às 05:05

O Brasil é um país que deixa suas crianças sem vacina, sem alfabetização, sem comida...É uma Nação que deixa suas meninas e meninos, em tenra idade, andarem atrás de seus pais viciados em crack nas ruas do centro de São Paulo, sem escola, na beira das estradas do Nordeste... se prostituindo para comprar comida...

É uma sociedade que abusa de suas crianças diariamente, física ou psicologicamente, através dos programas de uma Rede de Televisão imunda, com suas novelas nojentas, obscenas, corruptas, com seus programas de auditório mexicano, com sua violência, com sua grosseria, com seu mau gosto - esta rede de televisão que cresceu praticando crimes fiscais e beneficiada por corruptos do Regime Militar.

O Brasil enrola seus bebês em sacos de lixo dentro de maternidades de hospitais imundos dirigidos por bandidos que são, muitos deles, médicos comunistas...Deixa suas crianças em enfermarias com goteiras, com ratos e baratas, sem comida...Traz falsos médicos de Cuba para atendê-las como se fossem pediatras...O Brasil deixa seus filhos e filhas expostos nos bailes funks a esta suposta  “música” criada pelo narcotráfico – até que se viciem em drogas, até que se iniciem na prostituição ou no crime…


Deixa suas crianças sob cuidados destas vagabundas e vagabundos petistas, feministas, satanistas, pedófilos, maconhistas, que se disfarçam de  “professores”,  que ensinam às crianças os princípios de um mundo sem Deus, sem pai nem mãe, sem esperança...sem respeito, sem amor...que tudo fazem para iniciá-los no relativismo, na indiferença, no egoísmo...nas ideias de aborto, de liberação das drogas, do homossexualismo...e depois de tudo, depois de tudo isso, monta dentro do maior Hospital da América Latina, com ajuda de psiquiatras, com a sanção de gente que jurou não fazer o mal, um “ambulatório de crianças transgênero” e expõem a matéria no programa mais sujo, mais corrupto, imoral e imundo da televisão nacional – o FANTÁSTICO – sob pretexto de estar ajudando, de estar socorrendo pacientes que estão sofrendo?

Tudo isso como se estivéssemos perante um problema de “saúde pública”, como se tudo estivesse sendo feito no melhor interesse das crianças. Tudo isso antes da mesma rede de TV imunda lançar uma novela que tem, ela mesma, como personagem uma “criança transgênero”.

E o que mais dói é a complacência, a omissão do Conselho Federal que se cala, que não traz à mídia especialistas em Psiquiatria Infantil, em Pediatria, que com seus conhecimentos científicos, com sua fé e convicções morais possam fazer contraponto àquilo que quer a Globo. A Globo e este grupo de profissionais, médicos ou não, que se engajaram numa luta política, numa revolução cultural comunista, às custas da exposição, do sofrimento e da dor de crianças doentes.

O Brasil, com sua imprensa vagabunda esquerdista, liquida com a vida profissional de uma médica que postou, no whatsapp, a tomografia cerebral de uma estelionatária bandida casada com um alcoólatra ladrão e chefe de quadrilha... Exige histericamente a abertura de “processo ético” contra ela, mas cala-se em relação aos pais e médicos que exibiram, no “Fantástico”, crianças doentes dando entrevista…

Uma pessoa de bem, médica ou não, já não sente mais vergonha de ser brasileiro...Sente nojo!

Um médico desconhecido

Ops! Não foi possível realizar sua inscrição.

Inscrição realizada!

E-mail inválido