Para fugir de Sérgio Moro, Puccinelli descarta candidatura a governador (veja o vídeo)

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, por tudo o que já aprontou, deveria estar ‘engaiolado’ há muito tempo. Ele foi o verdadeiro ‘comandante máximo’ de uma perigosa Orcrim atuante em Campo Grande e em todo o estado.

André Puccinelli calculou com extrema frieza todas as suas atrocidades e perversões e, até então, protegido por comparsas distribuídos em todos os poderes, conseguiu permanecer intocável, livre.

É verdade que viveu momentos de tensão. Certa feita foi alvo de condução coercitiva e teve sua prisão temporária requerida pela Polícia Federal. Bem articulado, ainda conseguiu sair ileso e, ultimamente, já anunciava uma nova candidatura a governador.

André estava saltitante, principalmente em função da fraca administração de Reinaldo Azambuja, seu sucessor.

Porém, repentinamente, tudo mudou. Delatado na ‘delação do fim do mundo’, caso seja denunciado pelo Ministério Público Federal, será réu na ‘República de Curitiba’, sob o crivo impiedoso do juiz Sérgio Moro.

Diante das provas e da vida pregressa de Puccinelli, fatalmente será preso, tão logo o processo seja apreciado pelo juiz, que, sabidamente, não dá vida mole para corruptos.

Diante disso, para garantir com mais facilidade o ‘foro privilegiado’, o meliante será candidato a deputado federal, onde imagina que será eleito com facilidade.

Cabe ao povo de Mato Grosso do Sul refutar a malandragem, não o elegendo e permitindo assim, que André seja réu na Lava Jato e receba o castigo merecido do juiz Sérgio Moro.

Lívia Martins

[email protected]